Pesquisar

Patologias na construção civil: o que são e principais causas

Conheça as patologias na construção civil: veja a importância da prevenção e manutenção para assegurar a durabilidade das edificações.
Patologias na construção civil o que são e principais causas
Patologias na construção civil o que são e principais causas

Conheças as patologias na construção civil! Descubra quais são as suas causas, impactos negativos e a importância da prevenção e da manutenção adequada para garantir a qualidade e a durabilidade das edificações.  

A patologia é definida como “estudo das doenças”, na medicina. Esta palavra tem origem grega que determina o estudo dos defeitos que podem surgir e comprometer uma edificação. Ou seja, as patologias de obra são comparadas às doenças no corpo, precisando ser prevenidas e diagnosticadas antes que representem risco à construção.

Uma manifestação patológica é definida pela norma de desempenho NBR 15575, como uma irregularidade que se manifesta no produto devido a falhas na fabricação, no projeto, na instalação, na montagem, na execução, na utilização ou na manutenção, assim como problemas que não ocorrem devido ao envelhecimento natural. 

Principais causas das patologias de obras

Um projeto bem elaborado é a primeira garantia para que a sua obra saia do papel exatamente da maneira prevista. Além disso, quando esta etapa do empreendimento é incompleta ou aponta informações erradas, todas as outras fases acabam sendo comprometidas. 

Observe o que pode estar por trás do problema: 

  • falha no projeto;
  • falha na realização;
  • baixa qualidade do material;
  • utilização inadequada;
  • entre muitos outros. 

Fatores de risco de uma construção

A execução de um projeto é fundamental para evitar o aparecimento das principais patologias de obras. A utilização errada dos insumos e a disponibilidade de mão de obra pouco qualificada são fatores que colocam o empreendimento em risco. 

Patologias identificadas na etapa de execução, como o recalque diferencial, têm um efeito cascata que se desdobram em outros problemas durante a realização da obra. 

Por isso, preste atenção a fatores de risco como: 

  • excesso de carga na obra;
  • variação térmica no ambiente;
  • variação da umidade;
  • ação de agentes biológicos;
  • materiais não compatíveis;
  • ação de agentes atmosféricos;
  • alta rotatividade da mão de obra;
  • mão de obra pouco qualificada;
  • entre outros. 

Problemas comuns em habitações

Um levantamento em 1,4 mil unidades habitacionais do programa do governo, Minha Casa Minha Vida, mostra como as patologias de obras são comuns: 56,4% apresentam defeitos na construção. 

Publicada em 2017, com avaliações em habitações construídas em doze estados brasileiros. Além disso, o estudo mostra, na prática, o impacto destes problemas na qualidade de vida dos seus moradores. 

Confira o percentual de algumas das patologias encontradas nas unidades avaliadas: 

  • 46% infiltração;
  • 23,6% trincas;
  • 21,3% fissuras;
  • 13,8% depressões;
  • 4,7% recalques. 

6 principais patologias das construções

A literatura especializada no tema apresenta diversas manifestações patológicas decorrentes de elementos externos, vícios de construção e da falta de preparo ao longo da execução de um projeto. Confira abaixo algumas das principais e como evitá-las: 

  1. Eflorescência (mancha de sais);
  2. Corrosão da estrutura de aço;
  3. Carbonatação;
  4. Deterioração do concreto armado;
  5. Infiltrações;
  6. Retração do concreto.

Então agora que você conhece as principais patologias na construção civil, vamos entender melhor cada uma delas, acompanhe: 

1. Eflorescência (mancha de sais)

São formações de sais que aparecem como manchas brancas, mais frequentemente nas paredes de tijolos, devido a umidade. Eles também podem ser encontrados na água usada para a mistura do material e até mesmo na areia.  

A dica aqui é, além de zelar pela qualidade dos materiais usados, é possível evitar esse problema com atenção ao período adequado de secagem do reboco, estimado em 28 dias. Além disso, só após prazo é que a pintura deve ser providenciada. 

2. Corrosão da estrutura de aço

Esta condição geralmente decorre da reação do aço exposto ao ambiente, o que provoca a oxidação. Por isso, a durabilidade da armadura de aço fica comprometida e pode colocar a construção em risco. 

Fique atento para que o volume do reboco seja suficiente na proteção da armadura de aço, impedindo o seu contato direto com o ambiente. A deterioração do concreto também pode provocar o mesmo problema. 

3. Carbonatação

A carbonatação é outro processo que compromete a durabilidade do aço. Neste caso, a corrosão é causada a partir das moléculas de gás carbônico presentes na atmosfera que entram na estrutura do concreto. Uma vez em contato com a umidade no local, se forma um tipo de ácido que corrói o metal. 

A maneira de evitar esse risco também é através da atenção à integridade da camada de concreto que protege a estrutura de aço. Por isso, fique de olho nas condições do reboco e garanta que o concreto tenha volume suficiente para resistir ao ambiente em que se encontra. 

4. Deterioração do concreto armado

Acontece quando blocos de concreto se desprendem do restante da estrutura. Afinal, esse processo se dá pela perda do potencial aglomerante do cimento, seja por vibrações, choque, infiltrações e outros agentes que provocam a desintegração do material. 

Como uma das principais causas da deterioração são de ordem mecânica, é necessário prestar atenção em possíveis impactos no concreto e tomar providências para evitá-los. Por exemplo, uma sinalização adequada ajuda a evitar colisões provocadas por veículos em um estacionamento. 

5. Infiltrações

Pisos, lajes, paredes e qualquer outra superfície em uma construção estão sujeitos à infiltração. Essa condição se dá quando a água ou outro líquido invade espaço indevido na estrutura. As implicações não são apenas estéticas, porque comprometem a segurança da construção e colocam em risco a saúde dos usuários. 

Mais importante do que remediar o problema é descobrir o que está o causando. Portanto, preste atenção em todos os pontos de concentração de umidade que podem dar origem a essa infiltração, como, por exemplo, lençóis freáticos, vazamentos, áreas expostas à água da chuva, etc. 

6. Retração do concreto

A retração do concreto é principalmente caracterizada pela diminuição do volume composto em razão da perda de água existente no seu interior. Trata-se de um processo lento e gradual, que causa fissuras e traz complicações estruturais e estéticas se não houver uma medida para corrigir. 

Cuide para que a superfície não fique exposta a condições extremas, como vento forte e temperaturas elevadas. É importante também se atentar à qualidade dos materiais e ao processo de mistura, evitando o excesso de água na composição. 

Ênfase na prevenção

A prevenção é fundamental para evitar essas patologias na construção civil, então faça o acompanhamento técnico e preste atenção aos detalhes durante todas as fases da sua construção. Cumpra as normas e faça vistorias com frequência, isso vai evitar dores de cabeça e muitos problemas. 

Gostou das dicas? Então para mais conteúdos como este, acompanhe o blog do Obra Prima e siga a nossa conta no Instagram

Experimente o sistema Obra Prima!

Conheça o software que vai ajudar você a organizar as suas obras e conquistar mais clientes!

Receba conteúdos exclusivos sobre Construção Civil

Fique por dentro de tudo o que acontece na Construção Civil com a melhor newsletter do setor.