Menu

O que não pode faltar no RDO: 7 itens para o Relatório Diário de Obras

Amanda Libia

Compartilhe nosso conteúdo

Descubra como criar um Relatório Diário de Obras (RDO) completo e eficiente para otimizar a gestão dos projetos de sua construtora.

O dia a dia de um canteiro de obras é complexo. 

A quantidade de elementos para ter mais controle das obras e garantir que nenhum problema apareça na execução do projeto e assegurar que tudo ocorra de acordo com o planejamento é infinita.

O acompanhamento de obras, dentro do canteiro, precisa:

  • controlar o uso de materiais;
  • verificar a produtividade;
  • controlar horários de trabalho e descanso dos trabalhadores;
  • verificar se a logística e movimentação do planejamento funciona;
  • acompanhar o uso de EPIs e os riscos de acidentes;

entre outros detalhes.

Para auxiliar construtoras e responsáveis no canteiro de obras a desenvolver um acompanhamento de obras eficiente, as tecnologias da construção civil atuais oferecem diversas funcionalidades.

Uma das funcionalidades que a tecnologia oferece e que mais pode ajudar a ter mais controle na construção civil dentro do cotidiano no canteiro é o Relatório Diário de Obras (RDO). 

Essa ferramenta permite organizar cada detalhe, hora a hora, para que todos os envolvidos no projeto saibam exatamente como as atividades estão ocorrendo.

Isso permite identificar e aproveitar ou corrigir oportunidades e desafios, conseguindo ter mais controle das obras.

O que é o RDO?

Chamamos de ferramenta, mas na verdade o Relatório Diário de Obras (RDO) é, como o nome deixa óbvio, um relatório, ou seja, um documento. 

Chamar de funcionalidade é só porque encontramos muitas tecnologias da construção civil para auxiliar no desenvolvimento desse documento, incluindo o software de gestão de obras.

Falando especificamente do documento, podemos definir o RDO como levantamento de cada detalhe do que acontece durante o dia no canteiro de obras. 

Para servir como um guia eficiente ele é desenvolvido considerando o passo a passo de atividades descrito no cronograma físico-financeiro da obra.

Nesse momento você deve estar se perguntando: é preciso utilizar o cronograma físico-financeiro, só o cronograma de prazos não serve?

Se a construtora deseja um relatório completo, o cronograma físico-financeiro, que considera não só atividades e prazos, mas também uso dos materiais e custo, é a melhor opção.

Esse documento vai apresentar dados sobre:

  • os serviços realizados;
  • equipamentos utilizados;
  • quais trabalhadores estavam no canteiro naquele dia;
  • quantas horas trabalharam em cada atividade;
  • quanto material foi utilizado;
  • como estava o clima;
  • quais imprevistos surgiram; 

e muitas outras informações.

Com isso podemos ver que o RDO é um relatório completo de falhas e sucessos do dia durante a execução de obra.

Oferecendo uma visão mais concreta de como o projeto está indo e previsões mais realistas se os resultados esperados serão alcançados, cumprindo o planejamento.

Fazendo um acompanhamento de obras muito mais próximo e completo. 

Conhecendo o Relatório Diário de Obras: é o mesmo que um livro de ordem? 

Nomes diferentes, documentos diferentes, mas não se sinta culpado se em algum momento pensou que os dois eram o mesmo documento. 

A confusão acontece muito por serem dois documentos utilizados para realizar os registros das atividades diárias de uma obra e, na verdade, os dois documentos são bastante parecidos.

Para esclarecer um pouco melhor as diferenças e garantir que sua construtora nunca confunda um com o outro, vamos explicar um pouco sobre o Livro de Ordem e alguns de seus elementos mais essenciais.

Mais do que um documento para fazer o acompanhamento de obras, é utilizado como memorial de atividades no momento de regulamentar o empreendimento. 

É esse o documento exigido pela Lei Federal 5.194 e pela Resolução nº 1024 do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea).

O Livro de Ordem é uma obrigatoriedade legal para todo projeto, obras e serviços realizados por profissionais registrados no sistema Crea/Confea.

Não desenvolver e apresentar o Livro de Obras cumprindo com as exigências da resolução do Confea pode resultar não só na irregularidade da obra, mas em advertências e multas.

Além de ser considerado quebra no código de ética profissional da construção civil.

Entre os itens obrigatórios para esse documento estão:

  • Dados do empreendimento e seu proprietário;
  • Informações do responsável técnico e da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) da obra;
  • Data de início e de previsão da conclusão da obra;
  • Data de início e de conclusão de cada etapa no planejamento;
  • Situação física do empreendimento no dia de cada visita técnica;
  • Orientação de execução com medidas relevantes para garantir que o projeto seja completado seguindo suas especificações;
  • Nome da empreiteira com atividades, encargos, prazos de início e conclusão do que é sua responsabilidade com as respectivas ARTs;
  • Acidentes e danos materiais que aconteceram durante o dia;
  • Motivos e períodos em que os trabalhos tiveram que ser interrompidos;
  • Observações relevantes do responsável técnico.

Relatório Diário de Obras: 7 itens não podem faltar no RDO?

O RDO é um documento que pode ser muito útil para o controle e gestão de obras das construtoras.

Independente do porte da empresa ou se as obras são grandes projetos ou pequenas reformas.

Ao contrário do Livro de Ordem, e se pode considerar essa como a única diferença de direcionamento entre eles, é um documento que não é obrigatório para as construtoras. 

O único momento em que o Relatório Diário de Obras é obrigatório é se o cliente requisita a apresentação do documento no contrato com a construtora.

Para obter todas as vantagens oferecidas por um documento assim, tão essencial para a gestão de obras, é importante conhecer os itens que devem ser apresentados nele.

É importante destacar que todos os elementos mencionados para o Livro de Ordem também devem estar no RDO, além de alguns outros, mas vamos olhar mais detalhadamente para eles agora:

1. Dados de obra, cliente, responsável técnico

Quando consideramos que o RDO gere um documento a cada dia, ter os dados da obra presentes, mais do que tornar a identificação da obra oficial, com os dados necessários para fiscais e regularização do projeto, eles garantem uma melhor organização de arquivos.

Se cada documento possui datas, responsáveis, clientes, será muito mais fácil verificar preferências de projetos, organizar arquivos e encontrar informações necessárias como referência para futuras obras.

2. Descrição das atividades e insumos utilizados em cada uma no dia

Do ponto de vista da otimização da gestão de obras, esse é um dos elementos mais importantes do relatório.

Descrever em detalhes:

  • quais atividades foram realizadas;
  • quanto tempo levou;
  • que materiais e equipamentos foram necessários;
  • quantos trabalhadores se ocuparam da execução

Todos esses dados oferecem uma visão muito mais concreta da eficiência do cronograma físico-financeiro e permitem mais controle na construção civil.

É uma das melhores formas de verificar, dia a dia, pontos como:

  • Retrabalhos: permitindo identificar erros que podem ser de projeto ou planejamento e identificar desperdícios;
  • Uso de materiais: ajudando a prever se compras emergenciais vão ser necessárias ou se os recursos disponíveis são suficientes como apontado pelo orçamento e planejamento inicial;
  • Produtividade dos serviços: ajudando a definir se a mão de obra está sendo bem aproveitada no canteiro ou se a obra possui mais ou menos trabalhadores do que o necessário, o que significa a possibilidade de mais ou menos gastos readequando os horários de trabalho da equipe.
  • Uso de máquinas e equipamentos: verificando necessidade de manter todo mundo no canteiro, investir mais em armazenagem e identificar se a logística do canteiro está adequada para evitar danos aos materiais;
  • Segurança dos trabalhadores: analisando se em algum momento surgiram problemas que exigem reavaliar as condições de SST;

3. Qualidade da relação com fornecedores

É no dia a dia do canteiro de obras que a relação com fornecedores pode ser verdadeiramente avaliada. 

No RDO, o responsável pelo canteiro recebe as entregas de materiais e identifica com facilidade se materiais:

  • Apresentavam a qualidade prometida;
  • Não sofreram danos no transporte;
  • Estão dentro dos prazos de validade;
  • Foram entregues sem atrasos, na data acordada;
  • Foram entregues nas quantidades corretas.

Essas informações ajudam a construtora a identificar os fornecedores que oferecem verdadeiramente melhor custo-benefício.

Além de auxiliar na organização dos próximos dias de execução de obra, já que muitas vezes uma etapa só está esperando a entrega de materiais para ser iniciada

4. Condições climáticas

A construção civil é um setor conhecido por imprevistos e não importa o quanto seu planejamento seja detalhado.

Problemas terão que ser enfrentados e as soluções devem ser capazes de evitar impactos negativos que prejudiquem o cronograma e o orçamento.

Acompanhar as condições do tempo no RDO é uma forma de se prevenir contra imprevistos que não podem ser controlados.

Se você percebe que as temperaturas estão subindo muito, é necessário considerar que os trabalhadores precisam de pausas, um bom espaço com sombra para se recuperar e água.

Além disso, é preciso considerar que climas muito quentes tendem a fazer pessoas se sentirem mais cansadas e reduzir produtividade.

Um dia de chuva pode significar que no dia seguinte seja necessário avaliar o espaço antes de começar a trabalhar para evitar riscos. 

Ter um relatório que traga essa informação pode eliminar trabalhadores parados por não poderem executar uma atividade, eles podem ser enviados para uma outra obra que possa seguir e o pagamento do dia de trabalho não se torna um gasto sem retorno.

Nos dois casos, acompanhar o clima ajuda a evitar problemas que atrasem a entrega da obra, riscos para a saúde do trabalhador e custos não previstos no orçamento inicial.

5. Ocorrência de acidentes

Mais do que acompanhar o dia a dia da obra para evitar acidentes, é essencial descrever as condições e detalhes quando eles acontecem. 

Acidentes na construção civil podem ser fatais e quanto mais informações sobre riscos que se concretizaram a construtora tem, mais fácil será para evitar que eles se repitam em outros projetos.

Descrever o acidente permite, então:

  • Melhoras as medidas de SST aplicadas no canteiro;
  • Organizar melhores reações para socorrer trabalhadores mais rapidamente;
  • Preparar a construtora para corrigir problemas que possam impactar cronogramas e orçamentos na continuação da execução da obra.

6. Relatar alterações no projeto

Em alguns casos será necessário alterar alguns detalhes do projeto para garantir que a estrutura seja estável e a obra possa ser concluída. 

Quando essa necessidade é identificada, detalhar no Relatório Diário de Obras ajuda a apresentar para o cliente de forma mais clara as necessidades de alteração.

Com isso, além de ter dados concretos sobre as mudanças para fiscalizações e análises futuras da obra, ou até mesmo para não repetir os mesmos erros no futuro.

A construtora otimiza sua comunicação, a prestação de contas e a transparência na relação com o cliente.

7. Fotos e vídeos do andamento da obra

Fotos e vídeos não são essenciais para o relatório de obras, mas são um guia visual que pode ajudar muito seu cliente a entender os problemas apontados.

Também ajuda a visualizar onde o dinheiro está sendo aplicado e a evolução da execução de obras.

Além disso, fotos e vídeos também são uma boa referência para que futuros projetos sejam avaliados em comparação e os mesmos erros não sejam cometidos.

Software de gestão de obras e o RDO

Com todos os detalhes apresentados, a importância do Relatório Diário de Obras fica bem clara.

Isso significa que buscar formas eficientes de desenvolver o documento em seus projetos é essencial.

Muitas construtoras utilizam planilhas Excel para fazer o RDO e essa é uma alternativa. 

No entanto, o Excel exige um computador, tempo gasto depois do dia finalizado e um escritório no canteiro de obras.

Atualmente, a melhor opção que as construtoras possuem é utilizar um software de gestão de obras que possua essa funcionalidade. 

Os motivos para os softwares serem a melhor alternativa são:

  • Todos os dados de cronograma, orçamento e planejamento estão no sistema e, com isso, é possível garantir que o responsável tenha uma lista de itens para avaliar e possa analisar o que se esperava daquele dia de trabalho com mais facilidade.
  • Softwares de qualidade são mobile, ou seja, o RDO pode ser preenchido dentro do aplicativo, pelo celular, no mesmo minuto que as coisas acontecem, o que garante que as informações não sejam esquecidas antes que o responsável tenha tempo de ir até um computador no escritório.

Melhorar o dia a dia do canteiro e conseguir melhores resultados com as obras da construtora se torna muito mais fácil.

Garantindo um diferencial competitivo e melhores oportunidades de lucratividade e crescimento.

Quer conhecer outras funcionalidades dos softwares de gestão de obras que podem trazer vantagens para sua construtora? Acompanhe o nosso blog e clique na imagem abaixo para descobrir. 

software de gestão de obra

Pesquisar matéria

Quer transformar sua gestão de obras?

Experimente o sistema Obra Prima!

Matérias relacionadas

O que não pode faltar no RDO: 7 itens para o Relatório Diário de Obras

Conheça aqui sete itens muito importantes para o Relatório Diário de Obras (RDO) que vão otimizar a gestão de projetos dentro da sua construtora. Confira.
O que não pode faltar no RDO: 7 itens para o Relatório Diário de Obras
O que não pode faltar no RDO: 7 itens para o Relatório Diário de Obras

Experimente o sistema Obra Prima!

Conheça o software que vai ajudar você a organizar as suas obras e conquistar mais clientes!

Receba conteúdos exclusivos sobre Construção Civil

Fique por dentro de tudo o que acontece na Construção Civil com a melhor newsletter do setor.