Pesquisar

NBR 14718: tudo que você precisa saber sobre a norma

Entenda tudo sobre a NBR 14718, as suas aplicações, requisitos e importância no contexto da construção civil. 

As normas técnicas são fundamentais na construção civil. Afinal, elas garantem tanto a segurança dos trabalhadores, quanto das pessoas que vão usufruir dos edifícios. Por isso, é importante ficar de olho e seguir as diretrizes. 

Uma dessas normas é a NBR 14718, que trata dos requisitos e os ensaios para guarda-corpo para edificação. É dela que vamos falar no artigo a seguir. Acompanhe para entender as suas aplicações, requisitos e importância na construção civil. 

NBR 14718 de 08/2019 – Esquadrias – Guarda-corpos para edificação – Requisitos, procedimentos e métodos de ensaio 

Essa norma técnica determina os métodos e os requisitos de ensaio de guarda-corpos para edificação, internos ou externos, para uso coletivo ou privado, instalados em edifícios comerciais, habitacionais, esportivos, industriais, turísticos, religiosos, educacionais, terminais de passageiros e de saúde.

A NBR 14718 assegura ao comprador o recebimento dos produtos com condições mínimas de desempenho. Não é aplicável à indústria de gás natural e petróleo, assim como às obras de infraestrutura e viárias.   

O objetivo principal da norma é fixar e determinar cada uma das condições exigíveis de guarda-corpos para serem usados nas edificações para utilização comercial e residencial. 

Histórico da NBR 14718

Originalmente publicada em 2001, esta norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), depois foi revisada em 2008 e também em 2019, ela já está na sua terceira edição. Além disso, as atualizações aconteceram pelo questionamento da viabilidade prática, do desempenho e da implementação das estruturas. 

Vale lembrar que a revisão das normas é um processo comum e desejável, para atualizar os requisitos técnicos exigidos nos novos projetos e adequá-los para as inovações tecnológicas características do setor. 

O que é o guarda-corpo e o que fala a NBR 14718?

O guarda-corpo são estruturas para a proteção de pessoas que circulam por locais onde há o risco de queda. E certamente, a NBR 14718 é a regra que traz referências técnicas para essas construções. 

As estruturas são mais comuns em edifícios e prédios, além de serem possíveis em ambientes familiares com grandes alturas, como decks e piscinas. 

Hoje em dia, o material mais usado para fabricar um guarda-corpo é o alumínio. Inclusive, com a combinação e a vedação do vidro, se cria um produto fundamental para a segurança das pessoas e dos animais, além de ter um diferencial voltado para a arquitetura do ambiente. 

Outros insumos também podem servir para a criação de um guarda-corpo, como ferro, madeira e alvenaria. O importante na hora de escolher o tipo de estrutura usada, é levar em consideração o projeto do imóvel e as regras do setor. É aí que entra a NBR 14718. 

A norma traz referência para todos os tipos de guarda-corpos, ou seja, tudo que é considerado um elemento construtivo de proteção para escada, sacadas, etc. Por exemplo:

Tipos de guarda-corpos

  • Gradil: guarda-corpo feito de perfis e configuração de grade;
  • Montante: elementos verticais que formam um guarda-corpo;
  • Mezanino: é como um gradil;
  • Travessa: perfil com elementos horizontais ou inclinados;
  • Peitoral: travessa acima do guarda-corpo;
  • Ancoragem: sistema de fixação do guarda-corpo. 

Por outro lado, é importante ressaltar que essa NBR não é aplicável ao guarda-corpo usado em passarelas sobre ruas, ginásios de esporte, avenidas ou locais onde exista uma grande tendência de aglomeração pública. Essas situações têm definições diferentes. 

No entanto, a nova atualização da norma, ocorrida em 2019, tornou-a válida para todos os guarda-corpos utilizados em edificações que apresentem desníveis acima de 1 metro, como estádios e aeroportos. 

Hoje em dia, a principal recomendação é que os guarda-corpos sejam usados em locais onde há trânsito de pessoas com altura acima de 1 metro do nível inferior. Entre os exemplos: rampas, varandas, decks, escadas, terraços, etc. 

Entre as principais características da NBR 14718, podemos destacar: 

  • Altura do guarda-corpo: pelo menos 1,1m;
  • Desnível: acima de 20 cm, se inclui o prolongamento do guarda-corpo;
  • Ancoragem: deve haver fixação adequada com ancoragem;
  • Espaçamento: para perfis não paralelos: 0,25 m x 0,11 m x 0,11 m. 

Depois da atualização desta norma, introduziu-se a exigência de calcular a ação dos ventos para a instalação de estruturas em ambientes externos. O que, então, deve ser mensurado a partir de outra norma, a NBR 10821

Quais necessidades considerar para guarda-corpo?

Além de considerar as necessidades de segurança, também é fundamental pensar em questões estéticas. Entenda a seguir outros elementos que precisam ser levados em conta: 

Estilo arquitetônico

O design precisa estar em harmonia com a linguagem estética proposta para o ambiente, seja ela mais contemporânea ou clássica. 

Visibilidade e transparência

Em casos como edifícios tombados ou construções esportivas, os guarda-corpos precisam empregar materiais transparentes para não atrapalhar a vista. 

Tipos de guarda-corpos

Pode-se usar materiais mais robustos, como ferro forjado, aço inoxidável e alumínio, ou materiais mais rústicos, como a madeira. Já os vidros de segurança, oferecem aspecto moderno e leve, embora possam ser mais caros do que as outras opções citadas anteriormente. 

Dimensionamento e normas técnicas

A instalação dos guarda-corpos deve considerar as diretrizes da NBR 14718, calculando-se as cargas suportadas, alturas mínimas, resistência mecânica, impacto e espaçamento das grades.

Manutenção e durabilidade

O projeto deve determinar diretrizes para preservação e manutenção da funcionalidade e segurança do elemento durante a sua vida útil. 

Recapitulando 

Resumindo, a NBR 14718, é a norma que determina as diretrizes para os guarda-corpos – elementos construtivos essenciais para garantir a segurança de pessoas em edificações e espaços públicos, evitando acidentes relacionados a quedas de altura, mesmo que pequenas. 

Por isso, é fundamental seguir à risca as prescrições desta norma técnica, assim como das outras NBRs relacionadas. Portanto, profissionais experientes e qualificados, com domínio dos conceitos de desempenho e resistência do material, devem realizar os projetos e o acompanhamento de instalações.

Se você gostou deste conteúdo e quer ter acesso a mais, acompanhe o blog do Obra Prima, estamos sempre compartilhando dicas! E, para ficar por dentro das novidades do setor, siga a nossa conta no Instagram

Experimente o sistema Obra Prima!

Conheça o software que vai ajudar você a organizar as suas obras e conquistar mais clientes!

Receba conteúdos exclusivos sobre Construção Civil

Fique por dentro de tudo o que acontece na Construção Civil com a melhor newsletter do setor.