Pesquisar

Erros no orçamento de obras: conheça os 7 mais comuns

O orçamento de obras é parte fundamental de qualquer projeto. Conheça aqui os 7 erros mais comuns e descubra como evitá-los. Confira aqui:
Erros no orçamento de obras: conheça os 7 mais comuns
Erros no orçamento de obras: conheça os 7 mais comuns

O orçamento de obras vem ganhando cada vez mais dedicação dentro dos projetos da construção civil. Isso acontece porque o prejuízo para a construtora estava sendo bem significativo. Conheça os erros mais comuns e saiba como você pode evitá-los. 

O mau planejamento é um dos grandes vilões do orçamento de obras, e mesmo que muitas empresas tenham um departamento exclusivo para isso, muitas vezes, o trabalho pode ser ineficiente. 

Para melhorar essa questão, muitas construtoras estão investindo na modernização das suas metodologias e ferramentas de gerenciamento de obras e planejamento de gastos, usando técnicas de gestão e administração. 

Mas, antes de realizar um bom orçamento de obras é preciso aprender com os erros para não repetir ou reproduzir. Descubra quais são os mais comuns que causam prejuízo na construção civil e aprenda a fugir deles.

Cuidados com o orçamento de obras!

Para você ter sucesso e não precisar arcar com prejuízo para a construtora, descubra quais são os cuidados com o orçamento de obras que você precisa tomar. É hora de parar de cometer esses erros: 

  1. Falta de conhecimento dos custos diretos envolvidos;
  2. É negligente com a estimativa dos custos indiretos;
  3. Não analisa os riscos para criar contingências que vão solucionar problemas;
  4. Não adequa os métodos utilizados na construção;
  5. Não atualiza a precificação;
  6. Não faz visitas em campo;
  7. Não faz a curva ABC. 

Agora que você conhece os erros no orçamento de obras, vamos entender melhor cada um deles:

Leia também: 

Erros nas obras: os 5 mais comuns e como evitá-los – Obra Prima

1. Falta de conhecimento dos custos diretos envolvidos

Você precisa saber de duas coisas: 

  • custos de mão de obra: entenda o custo por unidade produzida
  • custos dos insumos: por exemplo, materiais e equipamentos;

A primeira coisa a ser feita é orçar com os seus fornecedores quanto os materiais qualificados vão custar, isso caso você não tenha em estoque. Além disso, levante também o custo de mão de obra, ela pode ser própria, terceirizada ou quarteirizada… Depende do projeto. 

Um imprevisto comum é a demora para os fornecedores responderem. Para piorar, muitas vezes o seu departamento de compras e RH não conseguem te auxiliar nesta etapa. E, se você não souber quanto custaram esses itens em outros projetos, vai ficar mais difícil de prever. E aí? O que você faz? Você precisa chutar… 

2. É negligente com a estimativa dos custos indiretos

Os custos indiretos são os custos administrativos, impostos, taxas, entre outros. A sua avaliação geralmente é um dos grandes problemas no orçamento de obras. Isso porque eles precisam de uma atenção maior que os custos diretos – que acabam sendo mais objetivos e claros.

Os custos indiretos, geralmente, se camuflam, mas é importante que o profissional consiga identificar e prever todos eles (ou pelo menos a maioria) dentro do seu orçamento de obras. 

Ah, outro ponto importante, não vai esquecer do imposto, hein? É preciso colocar esse custo na conta. 

3. Não analisa os riscos para criar contingências que vão solucionar problemas

Entre os principais erros no orçamento de obras está a não avaliação dos riscos que todo projeto da construção civil envolve. A conclusão de uma gestão de risco precisa integrar parte do processo de definição orçamentária. Isso ajuda na hora de tomar decisões. 

Um analista de projetos bem preparado consegue encontrar os riscos e fazer uma estimativa das contingências. Quando os riscos são desconsiderados e não são criadas contingências para o orçamento, isso pode gerar prejuízo para a construtora, caso algo dê errado. 

Quanto maiores forem os riscos, mais cuidado com o orçamento de obras será necessário. É importante investir mais tempo na busca por maneiras de diminuir e avaliar como essas ações vão influenciar os custos. Provavelmente, recuperar essas perdas não será fácil, se alguma eventualidade negativa aparecer enquanto a obra já está em plena execução. 

4. Não adequa os métodos utilizados na construção

Existem diversos métodos para a execução de um projeto e todos têm as suas vantagens e desvantagens em relação aos outros. Porém, escolher um método não quer dizer que você não vai o adaptar. 

É comum que as construtoras busquem importar os métodos construtivos e isso muitas vezes acaba dando errado, aumentando os custos e até reduzindo a qualidade do serviço prestado. 

Isso acontece porque muitos métodos precisam ser adaptados a cada realidade, considerando o ambiente, mão de obra, materiais, entre outros muitos fatores. Além disso, é preciso fazer um esforço para integrar todos os colaboradores envolvidos no projeto, de maneira que a metodologia seja abraçada e funcione. 

5. Não atualiza a precificação

Assim como qualquer outro, um orçamento de obras é feito de inserção de vários outros custos e preços no plano orçamentário. Logo, o erro mais grave acontece quando se erra neste elemento tão fundamental e básico. Isso pode acontecer por vários motivos, mas o principal deles é a falta de cuidado e de consulta a preços atualizados. 

Afinal, muitas obras demoram um tempo considerável para ficarem prontas e os preços podem ir mudando. Por isso, você precisa prestar atenção nisso. 

Leia também: 

5 dicas para otimizar a cotação de preços de materiais de construção – Obra Prima

6. Não faz visitas em campo

Esse é outro erro bem grave. É essencial que um bom profissional, responsável por fazer o orçamento de obras, conheça as metodologias modernas de gerenciamento. Para isso, ele pode usar as ferramentas tecnológicas que ajudam na implementação dessas metodologias e no acompanhamento do trabalho. 

Mesmo assim, continua sendo necessário que o profissional visite e conheça o local onde a obra será realizada. Fazer essas visitas, sentir quais são as condicionantes e avaliar presencialmente os desafios é essencial. 

Dessa maneira, muitas lacunas podem ser apagadas e é possível impedir que algum problema impossível de constatar de longo, no escritório, se torne uma bola de neve gigante e fora de controle! 

7. Não faz a curva ABC

Já falamos aqui no blog sobre a Curva ABC, você pode ler aqui. Na construção civil, a curva ABC é fundamental para fazer uma análise mais precisa do orçamento dos itens e da matéria-prima, porque esse relatório possibilita analisar o plano proposto revisando os itens e processos aplicados. 

Isso é feito para que a obra esteja adequada ao ambiente e os seus responsáveis saibam quais são os materiais que vão exigir mais atenção, reduzindo perdas e evitando o desperdício. 

Leia mais: 

Como calcular a curva ABC? Descubra em um passo a passo simples e rápido – Obra Prima

Prejuízo na construção civil

O setor é conhecido pelos seus altos custos, não é raro haver prejuízo na construção civil. Por isso, é importante que você encontre maneiras de controlar esses prejuízos na sua construtora. 

Para mais dicas de como fazer isso, acompanhe o nosso blog e siga o Obra Prima no Instagram

Também escute o episódio “Qual é o preço?” do ObraCast, em que a engenheira Paula Nunes conta como fazer um bom orçamento para você precificar o seu trabalho e evitar prejuízo para a construtora. 

software de gestão de obra

Experimente o sistema Obra Prima!

Conheça o software que vai ajudar você a organizar as suas obras e conquistar mais clientes!

Receba conteúdos exclusivos sobre Construção Civil

Fique por dentro de tudo o que acontece na Construção Civil com a melhor newsletter do setor.