Menu

O que é CUB na construção civil e como calcular?

Amanda Gregio

Compartilhe nosso conteúdo

Entenda o que é CUB na construção civil e como calcular.

Certamente, um dos indicadores de obras mais usados durante a fase de orçamento é o Custo Unitário Básico (CUB), que ajuda na estimativa dos principais custos de uma construção. 

Ele é calculado mensalmente pelos Sindicatos da Indústria da Construção Civil em todo o Brasil. Esse é o principal indicador da construção.

Por isso, você precisa entender mais sobre o tema, acompanhe a seguir:

O que é CUB na construção civil?

O CUB determina o custo global da obra para fins de cumprimento do estabelecido na lei de incorporação de edificações habitacionais em condomínio, garantindo aos compradores em potencial, um parâmetro comparativo à realidade dos custos. 

Atualmente, a variação percentual mensal tem servido como um mecanismo de reajuste de preços em contratos de compra de apartamentos em construção e até como índice setorial.  

Mas quem é que determina o valor do CUB?

A Lei Federal 4.591/64 (artigo 54), que trata sobre os valores de referência para as construções de imóveis por metro quadrado em cada estado, determina o CUB e essa mesma lei estabelece que é responsabilidade dos sindicatos estaduais da indústria da construção calcular o CUB/m². 

Além da obrigatoriedade de realizar a divulgação todo mês até o dia 5 sobre os custos unitários praticados na região em relação à construção civil.   

Onde consultar o CUB?

É possível consultar o CUB diretamente em seu site. Afinal, ele foi desenvolvido pela CBIC e conta com a participação de mais de 20 Sinduscons brasileiras. Você também pode entrar no site da Sinduscon da sua região. 

Por que o CUB é tão importante para o orçamento de obras?

Orçar um projeto é uma das etapas mais passíveis de erros e complexas. Por isso, o CUB é tão importante para o setor. Esse cálculo permite que parte dos custos das obras sejam mais precisamente estimados. 

Quanto mais o cronograma e o planejamento de uma construção, desde a definição de custos até a organização da logística das tarefas e recebimento de insumos, são realizadas de maneira precisa e consistente, mais impactam positivamente na qualidade do empreendimento e também no histórico tanto dos gestores quanto da construtora. 

Assim, esse cálculo dá suporte para o mercado de incorporação imobiliária ao servir como parâmetro que determina o custo das edificações. 

Dessa forma, o CUB na construção civil é um item crucial para que a obra tenha sucesso, uma vez que vai contribuir para uma melhor gestão dos recursos necessários e custos envolvidos. 

Quais são os tipos que o CUB considera?

O Custo Unitário Básico (CUB) se baseia em dois pontos importantes: o padrão de acabamento da obra e o projeto-padrão. 

Determina-se o primeiro em nível baixo, médio ou alto, que são referentes ao índice de refinamento do projeto. Já o segundo é em relação ao tipo de construção que será realizada, incluindo o número de pavimentos e a quantidade de dependência por unidade e número total de unidades. 

Por fim, existem dois modelos: o residencial e o comercial. Os tipos são detalhados na cartilha disponibilizada, por exemplo, pela Sinduscon-MG e podem ser: 

  • Residência unifamiliar (R1);
  • Residências populares (RP1Q);
  • Residência multifamiliar (R8 e R16);
  • Prédio popular (PP4); 
  • Projeto de interesse social (PIS);
  • Comercial com salas e lojas (CSL8 e CSL16);
  • Comercial com andares livres (CAL8);
  • Galpão industrial (GI). 

Calcula-se o CUB/m² baseado em vários projetos-padrão determinados pela ABNT NBR 12721:2006, considerando os lotes básicos de insumo (materiais de construção, despesas administrativas, equipamentos e mão de obra) com os respectivos pesos constantes na referida norma. 

O que está incluso no CUB?

A metodologia de cálculo do CUB/m² é simples e possibilita a consecução de indicadores bem próximos à realidade. Leva em conta: 

  • Salários;
  • Preços dos materiais de construção;
  • Despesas administrativas;
  • Custos com aluguel de equipamentos. 

Sendo que esses valores são pesquisados todos os meses pelos Sindicatos da Indústria da Construção de todo o país, como já dissemos anteriormente. 

Dessa forma, percebemos que existem diversos valores diferentes para o Custo Unitário Básico de acordo com o tipo de construção. 

Quais são os itens que o Custo Unitário Básico não considera?

De acordo com a NBR 12.721/2006, o CUB não inclui: 

  • serviços de infraestrutura/ fundação;
  • terrenos;
  • elevadores;
  • projetos arquitetônicos e estruturais;
  • instalações e equipamentos;
  • regulamentação do condomínio;
  • despesas com cartório;
  • remuneração do construtor;
  • custos com jardinagem e urbanização;
  • áreas de lazer e playground;
  • custos com obras complementares. 

Como calcular o CUB de uma obra?

É importante entender o cálculo e quais fatores são primordiais para um melhor planejamento financeiro e análise da viabilidade do projeto

Então, antes de começar a calcular o custo unitário, pesquise qual é o CUB vigente no estado que se encontra a construção. Leve em consideração o mês, o tipo de obra e o nível no padrão de acabamento. 

Depois, multiplique a área total da construção pelo valor do CUB. Assim, é possível encontrar o valor cheio, se deve somar o valor parcial encontrado pelo CUB ao valor do orçamento dos itens não inclusos. 

Custo Total = CUB x área construída + itens não inclusos. 

Entenda o efeito do CUB no financiamento de imóveis

Se aplicado como índice de correção em contratos de compra e venda de imóveis, as parcelas mensais mudam. 

Já ao comprar uma propriedade na planta, é crucial acompanhar as variações do CUB, porque isso influencia o saldo devedor. 

O Custo Unitário Básico é a unidade monetária do setor imobiliário, e no financiamento, o procedimento padrão é dividir o montante financiado pelo CUB, transformando a dívida de um valor em reais para um valor nesse indicador. 

Ele afeta financiamentos bancários e diretos com construtoras, sendo importante esclarecer durante as negociações as aplicações dos reajustes.

Como ter mais controle dos custos de uma obra?

Para ter mais controle dos custos das suas obras é fundamental apostar em tecnologias e inovações, garantindo mais eficiência e precisão nos processos. Por isso, você precisa conhecer o Obra Prima, o software de gestão de obras para as pequenas e médias construtoras do setor. 

Quer saber tudo sobre o nosso sistema, quais são as funcionalidades, vantagens e como ele pode facilitar o seu dia a dia? Clique na imagem abaixo e agende uma demonstração gratuita e sem compromisso: 

Experimente o sistema Obra Prima!

Conheça o software que vai ajudar você a organizar as suas obras e conquistar mais clientes!

Para mais conteúdos exclusivos sobre construção civil, acompanhe o blog do Obra Prima! Aproveite também para seguir a nossa conta no Instagram.

Pesquisar matéria

Quer transformar sua gestão de obras?

Experimente o sistema Obra Prima!

Matérias relacionadas

O que é CUB na construção civil e como calcular?

Experimente o sistema Obra Prima!

Conheça o software que vai ajudar você a organizar as suas obras e conquistar mais clientes!

Receba conteúdos exclusivos sobre Construção Civil

Fique por dentro de tudo o que acontece na Construção Civil com a melhor newsletter do setor.