Pesquisar

Diagrama de Ishikawa na construção civil: evite imprevistos na obra

Já conhece o Diagrama de Ishikawa? Descubra o que é essa ferramenta e como usá-la na sua empresa para evitar prejuízos na construção civil.
Diagrama de Ishikawa na construção civil: evite imprevistos na obra
Diagrama de Ishikawa na construção civil: evite imprevistos na obra

Você sabe o que é o Diagrama de Ishikawa? Conhecido também como Diagrama Espinha de Peixe ou Diagrama de Causa e Efeito.

Erros e imprevistos podem acontecer em qualquer obra. Por isso, avaliar e descobrir como evitar prejuízos na construção civil é fundamental! Estar sempre preparado é necessário para o andamento dos projetos e para o sucesso da sua construtora. Mas você sabe o que é o Diagrama de Ishikawa e como ele pode te ajudar nisso? 

Essa é uma ferramenta de gestão em formato de gráfico muito utilizada para assegurar a qualidade dos processos internos de uma organização. O objetivo é, de maneira prática, auxiliar na identificação das causas reais de problemas que atrapalham tarefas, e que têm como consequência situações indesejadas na empresa. 

Mas como assim? Vamos imaginar que a sua construtora esteja sofrendo com desperdícios no canteiro de obras: os números são muito altos e isso compromete a sua rentabilidade. O Diagrama de Ishikawa vai te auxiliar a chegar na raiz do problema: será que as estimativas estão erradas para a quantidade de insumos? Será que os processos de execução estão inadequados? 

A premissa básica do Diagrama Espinha de Peixe é de que, ao eliminar a causa-raiz do problema, você consegue se livrar dele por completo. Dessa maneira, o método sugere o teste e a avaliação de cada uma das hipóteses levantadas até encontrar o erro, e assim resolvê-lo. 

Leia também: 

Acabe com o prejuízo: o segredo para o controle financeiro na construção civil | Obra Prima

O que é o Diagrama de Ishikawa? 

Esse diagrama foi criado pelo engenheiro químico Kaoru Ishikawa, em 1943. Ele é uma ferramenta de qualidade que ajuda a avaliar problemas e identificar suas possíveis causas, e pode ser utilizado por qualquer pessoa de uma organização.

Esse diagrama de Causa e Efeito é um instrumento de qualidade visual e é muito usado para auxiliar na organização de equipes. Sua representação gráfica ajuda o time a solucionar as causas dos problemas que podem estar afetando e reduzindo a produtividade da empresa, cortando o mal pela raíz. 

Como funciona o Diagrama de Ishikawa?

O Diagrama trabalha com seis M’s: método, medida, meio ambiente, mão de obra, máquina e material. Conheça agora melhor cada um deles: 

1. Método

A primeira etapa,  método, direciona a investigação sobre como o trabalho está sendo desenvolvido e como isso influencia o problema que você está tendo. Nesta etapa do processo são avaliadas quais são as técnicas usadas pela equipe, como cada um dos membros realiza a sua parte no processo e quais são as regras definidas para a execução. 

2. Medida

Essa etapa diz respeito a como as métricas utilizadas no desenvolvimento do trabalho influenciam o problema. Informações incorretas, por exemplo, levam a avaliações erradas e isso impacta diretamente em um resultado ruim nas obras. 

3. Meio ambiente

Já no meio ambiente, é preciso avaliar o entorno em que o trabalho está sendo feito e como isso pode influenciar o problema. Questões naturais, como as chuvas, até questões externas, como economia do país, ou mesmo questões pessoais como a saúde física e mental dos colaboradores. Tudo isso traz consequências negativas para o processo. 

4. Mão de obra

Em relação à mão de obra é necessário analisar como os profissionais envolvidos podem influenciar no problema. Seja por falta de colaboradores, rendimento baixo ou até mesmo distribuição ruim de tarefas pela equipe. 

Leia também: 

Descubra como fazer um bom controle de mão de obra | Obra Prima

5. Máquina 

Nesta etapa é necessário avaliar a influência dos equipamentos e das máquinas em relação ao problema. Consertos, atualizações ou qualquer outra razão pelo qual os equipamentos podem estar dificultando o processo. 

6. Material 

Aqui é fundamental analisar como os materiais, seja pela quantidade, tipo ou qualidade podem estar influenciando o problema. Insumos ruins vão gerar produtos ruins, e consequentemente não serão atrativos para as possíveis vendas. 

Benefícios do Diagrama de Ishikawa 

Quando bem usado, o Diagrama de Causa e Efeito pode trazer muitas vantagens para a organização das obras, podendo até ser utilizado junto com outras metodologias. 

Seu uso pode até ser visual facilitando, assim, a identificação de possíveis motivos para um problema. Tudo isso vai possibilitar uma otimização dos processos e vai ajudar muito na hora de encontrar as soluções rapidamente. 

Outros benefícios dessa ferramenta são: 

  • Melhora o controle de qualidade;
  • Aperfeiçoa os processos e proporciona uma melhoria contínua;
  • Possibilita registros visuais mais intuitivos, o que simplifica avaliações no futuro;
  • Produz mais envolvimento dos colaboradores na otimização dos processos;
  • Proporciona um entendimento mais profundo e avalia e imprevistos nas obras;
  • Permite uma identificação mais veloz e precisa do verdadeiro motivo dos problemas para eliminá-los;
  • Priorização mais assertiva dos motivos dos problemas, possibilitando otimizar a produtividade;
  • Torna as decisões mais precisas e assertivas, devido aos detalhes proporcionados pelas avaliações. 

É claro que todo instrumento tem as suas limitações e requisitos para que se obtenha o resultado desejado. O método por si só não identifica a gravidade das causas do problema, por exemplo, e é fundamental que seja desenvolvido por profissionais organizados e capazes de liderar o desenvolvimento depois das conclusões.  

Como construir um Diagrama de Ishikawa? 

Para começar a montar o seu diagrama, você precisa primeiro desenhar a estrutura. Para isso, pense na espinha de um peixe: trace uma reta horizontal, e logo depois faça setas na diagonal, apoiadas no corpo da principal reta. São necessárias 6 retas diagonais (3 em cima e 3 embaixo). 

Agora que já temos o desenho do diagrama, é preciso determinar as categorias que a sua empresa quer avaliar. Isso pode variar dependendo do ramo em que a sua empresa atua, mas pensando na construção civil e arquitetura, imagine assim:

Método: qual a forma que será realizada a atividade proposta? 

Máquinas: quais serão os equipamentos necessários para realização da atividade? 

Medida: quais são as métricas usadas para medir o trabalho? 

Meio ambiente: qual é o lugar onde será feita essa atividade? 

Material: quais são os materiais necessários para realizar a tarefa? 

Mão de obra: quais são os profissionais envolvidos na execução deste trabalho? 

Note que com essa forma, temos uma espécie de checklist para planejar e realizar todas as atividades previstas no canteiro de obras. Como você deve ter percebido, essa não é a maneira mais comum de usar o diagrama, mas é uma solução para antecipar imprevistos na obra e evitar prejuízos na construção.

Agora, basta usar essa ferramenta nas suas obras e ver a diferença que o Diagrama de Ishikawa pode fazer na sua gestão de obras.

Para mais dicas e conteúdos exclusivos, acompanhe o blog do Obra Prima e não deixe de seguir a gente no Instagram

Escute também os episódios do nosso podcast, o Obra Cast, temos muitas conversas relevantes para quem trabalha ou tem interesse na construção civil. Clique na imagem abaixo e dê o play. 

banner obracast

Experimente o sistema Obra Prima!

Conheça o software que vai ajudar você a organizar as suas obras e conquistar mais clientes!

Receba conteúdos exclusivos sobre Construção Civil

Fique por dentro de tudo o que acontece na Construção Civil com a melhor newsletter do setor.