Pesquisar

APR em obras: entenda a sua importância na Construção Civil

APR em obras entenda a sua importância na construção civil
APR em obras entenda a sua importância na construção civil

A APR é muito importante para o setor da construção civil! Descubra como essa metodologia pode contribuir para a segurança, eficiência e qualidade em projetos!

A Análise Preliminar de Risco (APR) é primordial para garantir a segurança de todos os envolvidos nas atividades da empresa. Muitas organizações têm dificuldades de seguir as medidas de segurança para os seus trabalhadores e, por isso, é fundamental saber o que é e qual é a sua importância para o time. 

O que é APR e qual é a sua importância na construção civil?

A APR é uma análise detalhada, contendo todas as fases das atividades da sua empresa. O intuito é avaliar possíveis riscos da execução dos serviços e aplicar medidas que reduzam ou neutralizem o perigo aos colaboradores ao máximo. 

Na prática, essa avaliação serve para comunicar todos os envolvidos dos procedimentos de segurança que precisam ser seguidos para a execução de cada uma das atividades. 

Além de deixar o colaborador informado em relação aos riscos e procedimentos de segurança, também é um documento com garantia legal para o seu negócio. 

Em uma APR, as informações fundamentais são: 

Entre os principais objetivos da APR na construção civil, podemos destacar: prevenção de acidentes, redução de perdas financeiras, cumprimento de prazos, otimização da reputação da empresa, conformidade legal e desenvolvimento de uma cultura de segurança. 

A validação deste documento não é padronizada na construção civil, cada companhia é livre para estabelecer uma frequência de realização da APR. Porém, é indicado que quanto maior o risco dos serviços, menor seja o intervalo de tempo entre as suas aplicações, evitando possíveis negligências e garantindo a segurança dos colaboradores. 

Como é feita a APR?

A Análise Preliminar de Riscos (APR) pode ser dividida em três partes fundamentais: 

  1. Coleta de dados;
  2. Avaliação de riscos;
  3. Plano de segurança. 

Esse documento leva em consideração todos os aspectos de um projeto na construção civil, incluindo recursos humanos, maquinário, ambiente de trabalho, materiais, cronograma e logística. Então agora, vamos entender melhor cada uma das fases para a sua realização: 

1. Coleta de dados

Antes de realizar qualquer avaliação, a empresa deve coletar dados para análise. Em seguida, ela deve levantar informações sobre cada uma das atividades. Embora não haja uma maneira obrigatória de realizar esse processo, é necessário que o documento descreva detalhadamente as tarefas e identifique possíveis riscos.

Algumas das principais informações que este documento deve apresentar são: 

  • Responsáveis por cada tarefa;
  • Etapas de cada atividade e seu risco específico;
  • Riscos relatados no ambiente e para cada função;
  • EPIs ou EPCs obrigatórios para cada um dos ambientes;
  • Equipamentos utilizados para a realização das atividades.

Além daquelas informações que já citamos anteriormente. Assim, criando um histórico de resultados de risco, para comprovar e otimizar a efetividade das medidas que garantem a segurança de todos

2. Avaliação de riscos

Depois de coletar os dados, é importante avaliar quais são as causas dos riscos e identificar quais são os bens ou grupos expostos a essas ameaças em potencial. Além disso, é essencial que o time de análise seja composto por profissionais da Área de Segurança do Trabalho, preferencialmente, especializados no segmento ou setor de atuação da empresa. 

3. Plano de segurança

Por fim, após a descrição de todos os processos e levantamento dos riscos, deve acontecer a elaboração de um planejamento de medidas para lidar com todos os riscos e problemas identificados. 

A organização cria um conjunto de normas, boas práticas e regras que garantem a segurança dos colaboradores em todas as atividades. Afinal, os profissionais devem receber essas informações através de treinamentos, assegurando que todos tenham ciência da importância delas.

Categorias de risco 

Entender a natureza dos riscos é muito importante para uma implementação eficiente da APR e, mais relevante ainda, para assegurar o bem-estar e a segurança dos colaboradores e a produtividade nas obras. Confira a seguir cinco das categorias de risco: 

1. Risco Físico

Estes incluem colapso de estruturas, quedas de altura, quedas de objetos, exposição a condições meteorológicas extremas e acidentes com equipamentos e máquinas. Dentro de um canteiro de obras, é crucial gerenciar adequadamente os riscos físicos, pois estes podem resultar em lesões graves ou até fatais.

2. Risco Químico

Muitas vezes, a construção civil envolve o manuseio de substâncias perigosas, como produtos químicos de limpeza, materiais de construção tóxicos e solventes. Além disso, a exposição a essas substâncias pode provocar problemas de saúde a longo prazo, como doenças dermatológicas, respiratórias, etc. 

3. Risco Biológico

Em alguns projetos, principalmente na construção de instalações de saúde, podem aparecer riscos biológicos devido à exposição a microrganismos patogênicos. Isso exige medidas específicas de controle e prevenção, como o uso de equipamentos de proteção adequados. 

4. Risco Ergonômico

Condições inadequadas de ergonomia no local de trabalho podem provocar lesões musculoesqueléticas, como tendinites, dor nas costas e lesões por esforço repetitivo. Afinal, diversas atividades na construção civil exigem levantamento de peso, movimentos repetitivos e posturas desconfortáveis, tornando esses riscos uma constante preocupação.  

5. Risco Psicossocial 

Ambientes de trabalho estressantes, pressão de prazos e falta de comunicação eficaz podem contribuir para problemas psicossociais entre os colaboradores, afetando a saúde mental e, por consequência, a sua produtividade. 

É nesse cenário que a APR desempenha um papel crucial

Ao identificar, analisar e mitigar os riscos de maneira proativa, a APR ajuda diretamente para a redução de acidentes, problemas de saúde e lesões, promovendo um ambiente de trabalho mais saudável e seguro. Além disso, a mitigação de riscos através do documento possibilita que os times de construção mantenham o foco na realização eficiente do projeto, evitando atrasos e otimizando a produtividade. 

A Importância da Análise Preliminar de Risco (APR) na construção civil

Então, como já pudemos entender, a Análise Preliminar de Risco é fundamental para garantir a segurança na construção civil, então, além elaborar e implementar uma APR, mantenha os seus colaboradores cientes da sua importância, ofereça treinamentos, tire dúvidas e invista em tecnologias para otimizar esse processo.

Se você gostou deste conteúdo e quer ter acesso a mais, acompanhe o nosso blog, estamos sempre compartilhando novidades e siga o Obra Prima no Instagram!  

Experimente o sistema Obra Prima!

Conheça o software que vai ajudar você a organizar as suas obras e conquistar mais clientes!

Receba conteúdos exclusivos sobre Construção Civil

Fique por dentro de tudo o que acontece na Construção Civil com a melhor newsletter do setor.