Menu

A cada dia aumenta o número de mulheres na construção!

Amanda Gregio

Compartilhe nosso conteúdo

A quantidade de mulheres na construção e no canteiro de obras cresce mais a cada dia! Entenda quais são os impactos positivos dessa tendência para o setor. 

Embora a construção civil ainda seja um segmento muito dominado pelos homens, pesquisas apontam que a força de trabalho feminina está aumentando nos escritórios de engenharia e no canteiro de obras do Brasil. 

Felizmente, existem cada vez mais mulheres dispostas a enfrentar e vencer o preconceito, o assédio e a desigualdade, pavimentando uma carreira no setor. Assim, vão também derrubando mitos, como o de que o gênero feminino não tem aptidão para as ciências exatas. 

Um grande exemplo que inspira as profissionais do setor é a Enedina Alves Marques, a primeira engenheira negra do Brasil. Ela tem uma grande trajetória de sucesso e deixa um legado impressionante. 

De acordo com o Ministério do Trabalho e da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), a participação das mulheres na construção civil teve um leve aumento entre 2019 e 2021, o último ano com dados disponíveis. No começo do período, elas representavam 10,32% da força de trabalho nos canteiros brasileiros, já no último, eram 10,85%. 

A presença feminina está sendo incentivada por alguns fatores, como o aporte de novas tecnologias para a construção e as iniciativas do poder público e também do terceiro setor. Além disso, é muito positiva também porque traz uma nova perspectiva, diferentes habilidades e talentos para a indústria, contribuindo para a diversidade e inovação do setor. 

Transformações no setor da construção civil

A construção civil está passando por mudanças provocadas pelas novas tecnologias. Ainda que seja o segundo segmento mais lento para absorver as inovações, os impactos da revolução digital já podem ser notados. 

De um lado, a chegada de equipamentos e produtos de ponta no canteiro de obras aumenta a produtividade e a economia. De outro, atrai o fantasma do desemprego, uma vez que a indústria vem absorvendo com velocidade máquinas capazes de substituir a mão de obra humana. Quanto maior a automação, menor a necessidade de pessoas. 

Neste contexto de transformações, a capacidade de realizar tarefas que demandam atenção e apuro técnico aos detalhes está sendo cada vez mais valorizada, e as mulheres são reconhecidas no setor por essa habilidade. 

Assim, elas vêm sendo requisitadas para atividades como instalações elétricas e hidráulicas, pintura, marcenaria, serralheria, acabamento e restauração. As suas capacidades incluem a colocação de gesso, assentamento de tijolo, chapisco, emboço e reboco e aplicação de cerâmica.

Incentivo a presença das mulheres na construção

Já existem diversos projetos no Brasil para qualificar a mão de obra feminina na construção civil, seja por iniciativas privadas e do terceiro setor ou até públicas. Em âmbito municipal, por exemplo, em Guarapuava, no Paraná, veio uma das iniciativas mais recentes. 

Em julho de 2017, o prefeito Cesar Silvestri sancionou a lei exigindo que as empresas do setor que prestam serviço ao município tenham no mínimo 10% das vagas ocupadas por mulheres. 

Já em 2022, o governo federal criou, através da Lei 14.4577/2022, o Programa Emprega + Mulheres focado na inserção e manutenção das mulheres no mercado de trabalho. Entre as novidades implementadas no novo texto, podemos destacar: 

  • A flexibilização da jornada de trabalho para pais e mães que tenham filhos com até seis anos ou com deficiência;
  • Aumento de dois para seis dias para que o companheiro acompanhe a grávida em consultas e exames;
  • A concessão de mais de 60 dias de licença-maternidade nas empresas cidadãs. Esses dois meses extras poderão ser compartilhados com o companheiro, se ele também estiver empregado nessa empresa cidadã. Segundo a lei, se a mãe escolher pelos 6 meses, esses 60 dias poderão ser substituídos por um período de 120 dias com meia jornada;
  • Previsão, por empresas com no mínimo 30 colaboradoras mulheres, de espaço próprio e adequado para a acomodação dos filhos durante o período de amamentação. Ou, na impossibilidade de implementação, oferecer um reembolso-cheque para as profissionais;

Outras novidades

  • Ampliação para 5 anos e 11 meses a idade máxima para a criança ter direito a auxílio-creche;
  • Determinação que mulheres recebam o mesmo salário que os homens que exercem a mesma função na organização;
  • Estabelecimento, pelas empresas com Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), de regras de conduta a respeito de assédio sexual e de outras formas de violência nas normas internas da companhia, com ampla divulgação do seu conteúdo aos colaboradores, assim como procedimento de denúncia. 

Desafios enfrentados pelas mulheres na construção  

A falta de representatividade e estereótipos de gênero ainda são grandes barreiras para as mulheres que desejam ingressar no canteiro de obras e na construção.

Muitas vezes duvidam do profissionalismo e da capacidade das mulheres de se dedicarem à carreira, principalmente aquelas que são mães. 

Mulheres na construção: dentro do canteiro de obras

O trabalho na construção civil costuma exigir um intenso esforço físico. Dessa maneira, as diferenças fisiológicas entre os gêneros contribuem para o afastamento das mulheres do canteiro de obras. 

Devido às diversas capacidades e necessidades dos corpos. Existem normas que incluem garantias para a saúde e segurança das colaboradoras

Uma delas é a Norma Regulamentadora 17 (NR 17) que trata da ergonomia no setor. O item 17.2.5 determina que as mulheres devem carregar peso máximo menor àquele admitido para os homens. 

Contudo, a chegada de novas tecnologias na construção civil está mudando muito os processos de trabalho. Agora, maquinas realizam diversas tarefas braçais. Por exemplo, podemos citar a grua, usada para levantar e movimentar materiais e cargas pesadas.

Além disso, os materiais estão ficando cada vez mais leves e sendo fabricados em formatos pré-moldados, o que facilita os procedimentos de instalação e montagem, favorecendo a contratação de mulheres na indústria.  

Igualdade de gênero na construção civil 

Agora que você viu como as mulheres estão cada vez mais presentes na construção civil, invista em canteiros de obras mais diversos. Isso vai trazer mais inovação e lucros para a sua empresa. 
Para mais conteúdos como este, acompanhe o blog do Obra Prima e siga a nossa conta no Instagram, lá tem sempre novidades e dicas importantes.

Pesquisar matéria

Quer transformar sua gestão de obras?

Experimente o sistema Obra Prima!

Matérias relacionadas

A cada dia aumenta o número de mulheres na construção!

Experimente o sistema Obra Prima!

Conheça o software que vai ajudar você a organizar as suas obras e conquistar mais clientes!

Receba conteúdos exclusivos sobre Construção Civil

Fique por dentro de tudo o que acontece na Construção Civil com a melhor newsletter do setor.