Menu

10 erros no orçamento de obras que são imperdoáveis!

Gabriela Pereira de Souza

Compartilhe nosso conteúdo

O orçamento de obras é um dos primeiros e principais passos para realizar um projeto. Descubra aqui os erros que você precisa parar de cometer para ter mais sucesso. 

Um erro nesta etapa pode causar um efeito dominó difícil de controlar em todas as próximas fases, os mais comuns são: dimensionamento e quantitativos de mão de obras errados, falta de despesas indiretas e uso de bases de composição atrasadas.

E ao cometer esses equívocos, você terá prejuízos e vai precisar tirar dinheiro do próprio bolso para cobrir. Ou seja, o que era para trazer lucro, só traz mais dor de cabeça. 

Quer descobrir como acabar com esse problema? Aprenda como fazer um orçamento de obras eficiente. Acompanhe o texto porque nós vamos explicar.  

Como fazer um orçamento de obras eficiente?

Fazer o planejamento financeiro de um projeto é uma tarefa que precisa de bastante foco e organização. Tudo deve começar com a execução de um orçamento e de uma preparação bem feita: eles são fundamentais para evitar atrasos, imprevistos e prejuízos na realização das atividades. 

Com a evolução das tarefas e um cronograma de obras bem elaborado, fica mais fácil finalizar no prazo planejado. Para se livrar dos problemas, também é essencial investir em materiais de alta qualidade e contratar bons profissionais.  

É importante ter o controle dos gastos e monitorar o andamento das atividades, visando sempre se manter dentro do que foi orçado. Por isso, vamos apresentar agora dez pontos que criam problemas para os gestores da construção civil ao elaborar o orçamento de obras, confira: 

10 erros no orçamento de obras

É fundamental que o planejamento financeiro seja mapeado por completo. A falta de um monitoramento, assim como a realização da obra e os custos reais precisam estar de acordo com o que foi orçado.

Porém, para você conseguir evitar erros no orçamento de obras, é importante conhecê-los. Por essa razão, vamos trazer aqui alguns equívocos mais comuns que são imperdoáveis para a sua construtora nunca mais cometê-los. Vamos lá? 

  1. Não realizar a estimativa do quantitativo de serviços da maneira correta;
  2. Não prestar atenção nos custos indiretos;
  3. Usar um modelo padronizado sem critério;
  4. Falta de conhecimento das técnicas e métodos de construção e planejamento;
  5. Não levar em consideração possíveis surpresas;
  6. Falta de precisão na hora de precificar serviços;
  7. Não adequar os métodos utilizados na construção;
  8. Ter o hábito de contar com os índices atrasados dos serviços;
  9. Negligenciar os valores de frete e entrega;
  10. Não fazer a Curva ABC

Entenda melhor cada um deles e como é possível evitá-los: 

1. Não realizar a estimativa do quantitativo de serviços da maneira correta

Esse é um erro bem grave! Em uma obra, é primordial analisar as dimensões do que será realizado e conhecer todos os recursos necessários, tanto humanos quanto materiais, para fazer da maneira correta. 

Ao descobrir o que será feito em suas devidas proporções, o gestor raramente vai cometer erros relacionados a fatores, como: 

  • Gastar excessivamente com mão de obra: o ideal é avaliar se os recursos existentes são suficientes para executar os serviços necessários. Ou seja, conhecendo a produtividade do time, é possível fazer um dimensionamento para cumprir os prazos combinados. Do contrário, será necessário contratar mais mão de obra diretamente ou através de uma empresa terceirizada. 
  • Gastar exageradamente com os insumos: A recomendação aqui é realizar um levantamento dos materiais baseado no rendimento unitário dos itens para cada um dos tipos de serviços que precisam ser executados. Além de avaliar quais serão os equipamentos necessários. É válido também verificar se a melhor alternativa é comprar ou alugar esses equipamentos. 

2. Não prestar atenção nos custos indiretos

Você presta atenção nos custos indiretos do projeto? Isso vai afetar diretamente a sua planilha de orçamento de obras. É essencial realizar um levantamento muito minucioso dos gastos indiretos, esses são aqueles que não estão diretamente relacionados ao serviço. Por exemplo, os gastos com administração. Essa medida vai ajudar a evitar prejuízos para a empresa e deve levar em conta os seguintes fatores: 

  • Margem de incerteza: é muito usada pelas empresas para diminuir eventuais distorções no custo da obra e, geralmente, tem uma variação entre 5 a 10%.  
  • Carga tributária: leve em consideração os tributos municipais, estaduais para evitar erros no orçamento de obras. 
  • Seguros: inclui todos os seguros estabelecidos ou não no contrato, como a garantia de realização contra terceiro, entre outros. 
  • Custos Financeiros: são os juros decorrentes de uma necessidade eventual de empréstimo de capital de giro para realização de uma determinada obra ou serviço.
  • Garantias: instrumentos utilizados para possibilitar o cumprimento do contrato, como papéis selecionados ou caução. 
  • Administração central: consiste na divisão de gastos da sede entre as obras da construtora, com o custo que varia entre 7 a 20%, normalmente. 

3. Usar um modelo padronizado sem critério

Ter uma base orçamentária para desenvolver o seu planejamento do projeto é uma maneira de economizar tempo e melhorar a eficiência. Porém, essa solução pode ficar menos interessante quando for usada sem que seja feita uma avaliação correta. 

Cada projeto tem necessidades únicas e o orçamento de obras precisa se adaptar a essas características – não o contrário. Com um modelo padronizado que não leva em consideração as qualidades específicas, tudo acaba ficando menos preciso. 

Então, ao usar um modelo como base, é fundamental adaptá-lo de acordo com as especificações para que no fim, o resultado seja efetivo. Inclusive, isso vale para o uso de orçamentos criados anteriormente. Se as modificações necessárias aparecem em grandes números, pode ser mais eficiente começar do zero. 

Você também pode usar o modelo de orçamento do Obra Prima, ele é perfeito para evitar erros no seu orçamento e ainda te ajudar a economizar tempo: 

Banner 1: Planilha de orçamento de obras

4. Falta de conhecimento das técnicas e modelos de construção e planejamento

Precisa estar claro no seu orçamento de obras quais serão os métodos e técnicas construtivas usadas para a realização dos serviços. Isto porque qualquer detalhe pode gerar grandes consequências no custo final. Além do mais, não se pode ignorar a logística dos equipamentos, pessoas e materiais de construção, uma vez que isso pode trazer impactos nos custos e no tempo de conclusão do seu projeto. 

Geralmente, esses erros acontecem porque não há um conhecimento adequado em relação às técnicas construtivas. Por outro lado, um correto sequenciamento das tarefas evita retrabalhos e ajuda a manter o serviço dentro do orçamento combinado. 

5. Não levar em consideração possíveis surpresas

Por mais bem planejada que uma obra e o seu orçamento estejam, é difícil conseguir prever tudo que vai acontecer em cada uma das etapas. Sempre existem riscos de surgirem imprevistos que vão afetar o desempenho e o uso dos recursos financeiros.  

É por esse motivo que um bom controle do orçamento de obras deve levar em consideração a existência desses possíveis gastos e imprevistos extras. Retrabalhos, erros ou mesmo etapas que aparecem de surpresa podem levar a uma situação desse tipo. 

Ou seja, é ideal que o seu plano financeiro preveja todos esses aspectos. Não há um valor mínimo para guardar para isso, mas é comum separar cerca de 5% do valor total do seu projeto. Essa reserva será usada apenas em emergências, o que impedirá que despesas extras aconteçam. 

No mais, leve em consideração que as surpresas também significam estar pronto para realizar as mudanças necessárias. Dessa forma, dependendo do caso, uma reorganização do seu orçamento é fundamental para que tudo seja cumprido. Vale a pena ficar de olho para garantir que tudo acontecerá conforme o planejado. 

6. Falta de precisão na hora de precificar os serviços

Esse é um dos principais erros no orçamento de obras. Para determinar o preço final, é preciso considerar os custos diretos e Benefícios e Despesas Indiretas, o BDI. Dessa maneira, os serviços podem ser bem precificados, melhorando as chances dos seus resultados financeiros alcançarem o que foi planejado. 

7. Não adequar os métodos utilizados na construção

Quando avaliamos o mercado da construção civil, é possível identificar diversos métodos para realizar uma obra. Cada empresa determina os seus diante dos interesses de atuação, seja para entregar uma obra com mais agilidade, seja para entregá-la com o menor custo possível. 

Porém, ao selecionar um sistema construtivo, é preciso prestar atenção à adaptação para a realidade do seu projeto. Do contrário, isso pode trazer consequências negativas nos custos, no tempo de realização, na qualidade, entre muitos outros fatores. 

Mesmo com uma metodologia específica para construir todos os projetos, alguns empreendimentos podem existir especificações externas que demandem a adaptação do método. Entre eles podemos citar: materiais, mão de obra, ambiente, etc. 

8. Ter o hábito de contar com os índices atrasados dos serviços

Para fazer a estimativa do gasto unitário de um serviço, é necessário levantar a composição de custos dele, isso quer dizer que é preciso considerar o consumo de materiais, equipamentos e mão de obra usados. Com a intenção de evitar cometer erros, é fundamental manter o cadastro dos serviços atualizados com os últimos índices de consumos desses itens por unidade de tarefas a serem realizadas. 

Os dados precisam ser constantemente atualizados, porque os índices – responsáveis por medir os custos – necessitam estar dentro da realidade. Há bases que são disponibilizadas nos veículos principais do setor que liberam atualizações periódicas seguindo o cenário do mercado. Mas, é essencial o diálogo entre os setores de obras e de orçamento sobre a produtividade dos times e o rendimento dos materiais de acordo com a realidade da sua construtora. 

9. Negligenciar os valores de frete e entrega

Você já cometeu esse erro? Ele é mais comum do que parece. A logística dos materiais é um fator que precisa de atenção ao longo da construção, porque pode ser uma das causas relacionadas aos erros no orçamento de obras. 

Devido a diversidade das demandas de matérias primas, o planejamento pode sofrer mudanças significativas. Dessa maneira, para evitar um problema recorrente, saiba planejar da forma correta tudo que será necessário para realizar o projeto e, assim, avaliar todos os custos de entrega e frete. Ao solicitar algo emergencial, modificamos totalmente a estrutura do nosso orçamento. Por isso, é fundamental evitar que isso aconteça. 

Leia também: 

Descubra como evitar as compras emergenciais na construção civil | Obra Prima

10. Não fazer a Curva ABC

Já falamos dessa curva aqui no blog, relembre. Esse cálculo analisa os orçamentos e aplicações dos recursos no momento das compras para o canteiro de obras, permitindo classificar os insumos por maiores custos e necessidade, auxiliando a decidir de maneira mais estratégica o que pode ser comprado primeiro e como fazer a organização dos pagamentos. 

Erro bônus: não usar um software de gestão de obras

Ainda não usa um software para fazer o controle do seu orçamento de obras? Esse sistema vai otimizar e automatizar diversas tarefas que tomam muito tempo do seu dia para você conseguir focar no que realmente precisa da sua atenção: estratégias para a sua construtora crescer!

Descubra todas as funcionalidades do Obra Prima em uma demonstração gratuita (e sem compromisso do nosso sistema, você não vai se arrepender. Clique na imagem abaixo e agende: 

Software de gestão de obras

Com o software de gestão de obras, é possível centralizar as informações e etapas dos seus projetos, controlar o andamento de cada edifício na palma da sua mão, mostrar para os seus clientes a evolução em tempo real, organizar os seus orçamentos para não perder os prazos e você ainda faz tudo isso de maneira remota e online! 

O Obra Prima é um sistema de gestão de obras para pequenas e médias construtoras que buscam uma solução de gerenciamento ágil e dinâmica, mas sem as complexidades e custos dos sistemas tradicionais.  

Gostou das dicas? Acompanhe o nosso blog e siga o Obra Prima no Instagram para ter acesso a mais conteúdos exclusivos sobre os principais temas da construção civil. Também escute todos os episódios do nosso podcast: o Obra Cast, clique na imagem abaixo e já dê o play: 

banner obracast

Pesquisar matéria

Quer transformar sua gestão de obras?

Experimente o sistema Obra Prima!

Matérias relacionadas

10 erros no orçamento de obras que são imperdoáveis!

Quer descobrir como fazer um orçamento de obras eficiente? Separamos 10 erros imperdoáveis na elaboração que você precisa evitar, confira:
10 erros no orçamento de obras que são imperdoáveis
10 erros no orçamento de obras que são imperdoáveis

Experimente o sistema Obra Prima!

Conheça o software que vai ajudar você a organizar as suas obras e conquistar mais clientes!

Receba conteúdos exclusivos sobre Construção Civil

Fique por dentro de tudo o que acontece na Construção Civil com a melhor newsletter do setor.